COOLTURA

Pianista Hélder Bruno estreia primeiro disco no TAGV

Quarteto de cordas

Anda pelos palcos do país desde 2016 mas vai ser agora, no do Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), durante a 20.ª Semana Cultural da Universidade de Coimbra, que Hélder Bruno vai finalmente apresentar o primeiríssimo disco da carreira de décadas dedicada ao estudo da Música. O álbum chama-se A Presença, Serena e Terna (2018).

Uma soprano, um quarteto de cordas, um piano e a voz de Nuno Guerreiro é a proposta do músico de Coimbra, natural da Lousã, que indaga ao piano sobre aquelas a que chama “propostas essenciais” para a maneira como se fazem as coisas.

“Buscamos obsessivamente a originalidade, para uma descoberta criativa, para uma inovação sublime…e sempre procure por ela tão longe de onde estamos. Mas a maioria das vezes, a solução mais original, criativa e inovadora está mais perto de nós do que pensamos…”

Hélder Bruno

Hélder Bruno assina a concepção, direcção artística e musical, composição e orquestração da soprano Mafalda Umbelino Camilo e o quarteto de cordas Blossom Quartet. A intenção, diz, é a de se estabelecer como uma coluna de harmonia da dimensão humana, de acordo com a apresentação na página oficial do artista helderbruno.com. Nuno Guerreiro, convidado especial que ainda no passado Dia Internacional da Mulher estreou o single “Culpada” para assinalar os 25 anos da Ala dos Namorados, empresta a voz ao tema Balada das Fadas.

O vídeo foi rodado no Boutique Hotel Palácio da Lousã e realizado pelo próprio Hélder Bruno, com direcção de Cláudia Batalhão (Blinq) e fotografia de Mário Guilherme. Os músicos são Feodor Kolpashnikov no violoncelo, Tünde Hadady e  Maria Kagan nos violinos e Rogério Monteiro na viola.

Segundo a página oficial de Hélder Bruno o conceito do espectáculo foca-se na necessidade de experienciar o momento, o tempo presente, novamente criando um canal através do qual podemos nos reconectar com o momento, com nossa própria humanidade. Para isso Filipe Ferreira e a Moving Work alinham a música com trabalhos da fotógrafa belga Lieve Tobback, fundadora do projecto Essência, que usa a fotografia como ferramenta num trabalho emocional e espiritual com mulheres.

Com 42 anos, desde os 9 dedicado ao instrumento favorito, Hélder Bruno estudou Teoria e Análise da Música no Conservatório de Música de Coimbra e na Escola de Jazz do Porto, onde integrou a Orquestra Dixieland. Pupilo de mestres como Bernardo Moreira, Bernardo Sassetti, Carlos Bica, Carlos Martins, Carlos Barretto, Carlos Zíngaro, João Paulo Esteves da Silva e Pedro Moreira, em 1999, e já com o canudo em Educação Musical pela Escola Superior de Educação de Coimbra, começou a trabalhar como professor assistente. Mais tarde ainda se tornou mestre em Musicologia e em 2006 publicou o primeiro livro Jazz em Portugal (1920 – 1956), pela Almedina. Continuou a estudar, desta feita na Universidade de Aveiro, no Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança.

Hélder Bruno compõe numa vasta gama de estilos musicais. A este primeiro projecto chama-o de clássico contemporâneo.

É ver e ouvir ao vivo, sexta-feira, dia 23, às 21h30 no TAGV. Ainda há bilhetes.

Preço: €10 – €8
Duração: 1h15m
Maiores de 3

 

Comenta este artigo

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.