Pianista Hélder Bruno estreia primeiro disco no TAGV

Quarteto de cordas

Anda pelos palcos do país desde 2016 mas vai ser agora, no do Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), durante a 20.ª Semana Cultural da Universidade de Coimbra, que Hélder Bruno vai finalmente apresentar o primeiríssimo disco da carreira de décadas dedicada ao estudo da Música. O álbum chama-se A Presença, Serena e Terna (2018).

Uma soprano, um quarteto de cordas, um piano e a voz de Nuno Guerreiro é a proposta do músico de Coimbra, natural da Lousã, que indaga ao piano sobre aquelas a que chama “propostas essenciais” para a maneira como se fazem as coisas.

“Buscamos obsessivamente a originalidade, para uma descoberta criativa, para uma inovação sublime…e sempre procure por ela tão longe de onde estamos. Mas a maioria das vezes, a solução mais original, criativa e inovadora está mais perto de nós do que pensamos…”

Hélder Bruno

Hélder Bruno assina a concepção, direcção artística e musical, composição e orquestração da soprano Mafalda Umbelino Camilo e o quarteto de cordas Blossom Quartet. A intenção, diz, é a de se estabelecer como uma coluna de harmonia da dimensão humana, de acordo com a apresentação na página oficial do artista helderbruno.com. Nuno Guerreiro, convidado especial que ainda no passado Dia Internacional da Mulher estreou o single “Culpada” para assinalar os 25 anos da Ala dos Namorados, empresta a voz ao tema Balada das Fadas.

O vídeo foi rodado no Boutique Hotel Palácio da Lousã e realizado pelo próprio Hélder Bruno, com direcção de Cláudia Batalhão (Blinq) e fotografia de Mário Guilherme. Os músicos são Feodor Kolpashnikov no violoncelo, Tünde Hadady e  Maria Kagan nos violinos e Rogério Monteiro na viola.

Segundo a página oficial de Hélder Bruno o conceito do espectáculo foca-se na necessidade de experienciar o momento, o tempo presente, novamente criando um canal através do qual podemos nos reconectar com o momento, com nossa própria humanidade. Para isso Filipe Ferreira e a Moving Work alinham a música com trabalhos da fotógrafa belga Lieve Tobback, fundadora do projecto Essência, que usa a fotografia como ferramenta num trabalho emocional e espiritual com mulheres.

Com 42 anos, desde os 9 dedicado ao instrumento favorito, Hélder Bruno estudou Teoria e Análise da Música no Conservatório de Música de Coimbra e na Escola de Jazz do Porto, onde integrou a Orquestra Dixieland. Pupilo de mestres como Bernardo Moreira, Bernardo Sassetti, Carlos Bica, Carlos Martins, Carlos Barretto, Carlos Zíngaro, João Paulo Esteves da Silva e Pedro Moreira, em 1999, e já com o canudo em Educação Musical pela Escola Superior de Educação de Coimbra, começou a trabalhar como professor assistente. Mais tarde ainda se tornou mestre em Musicologia e em 2006 publicou o primeiro livro Jazz em Portugal (1920 – 1956), pela Almedina. Continuou a estudar, desta feita na Universidade de Aveiro, no Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança.

Hélder Bruno compõe numa vasta gama de estilos musicais. A este primeiro projecto chama-o de clássico contemporâneo.

É ver e ouvir ao vivo, sexta-feira, dia 23, às 21h30 no TAGV. Ainda há bilhetes.

Preço: €10 – €8
Duração: 1h15m
Maiores de 3

 

Deixa-nos a tua opinião!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.